Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe, somos o que comemos

Sou mãe de uma menina que, tal como muitas mães, se preocupa com a alimentação da sua cria de uma forma saudável. Desta forma, surge o blog como partilha de experiências, receitas, saberes, conhecimentos...

Mãe, somos o que comemos

Sou mãe de uma menina que, tal como muitas mães, se preocupa com a alimentação da sua cria de uma forma saudável. Desta forma, surge o blog como partilha de experiências, receitas, saberes, conhecimentos...

Dia da Mulher - Ser mulher!

Hoje as mais diversas páginas, jornais, revistas, escolas, creches... quase em todo o lado se lembra que o hoje é o Dia Internacional da Mulher. Esperem lá, mas o dia da mulher não é todos os dias? Quando a mulher quiser... 

Mulher deve ser valorizada todos os dias. Mulher é lutadora, é guerreira, é mãe, é professora, é educadora, é amiga, é companheira, é inimiga, é tudo...

Cá em casa somos três mulheres. A minha mãe que toda a vida foi uma lutadora. Passou por muitos dissabores, por algumas provações e sempre soube contornar a situação da forma que achou mais adequada. Às vezes olho para esta grande MULHER e vejo um ser frágil, capaz de escorregar e cair em qualquer canto. Alguém que se queixa frequentemente de um dor aqui e outra ali, mas no final quando chegam os verdadeiros momentos de teste, de prova... tu mostras as garras, a lutadora, a força da natureza que tens dentro de ti. Já venceste muito!!! 

Eu sigo os passos da minha mãe e todos os dias luto com um sorriso no rosto. Muito menos queixosa que tu mãe. Sim, não gosto de me queixar da vida, do dia... tento sempre ter um sorriso e mesmo que as coisas não corram como espero tento ver sempre algum pronto positivo. 

Posso estar muito mal, mas raramente alguém me vê atualmente a queixar da vida. Considero que desde que tenha saúde tudo o resto se consegue. Aprendi isso com a vida. A saúde é tudo. 

E agora tenho a minha pequena grande mulher: a minha filha (18 meses). É por ela que todos os dias sorrio e todos os dias abro os meus olhos depois de mais uma noite de sono a pensar no que fazer para a tornar ainda mais feliz. 

É a luz dos meus olhos, é o brilho do meu olhar, é a força do meu andar, é a minha âncora... Para mim a minha filha e minha familia são tudo o que tenho de melhor na vida. Foi com a minha filha que ganhei a força que nunca pensei ter, que mudei a minha forma de pensar, que me tornei paciente e bondosa. 

E no meio destas três grandes Mulheres, os homens cá de casa ficam tontos e muitas vezes às aranhas. Sim porque somos a força da natureza, os furacões que põem os cabelos em pé.... 

A todas as mulheres desejo que todos os dias sejam dias especiais. As mulheres merecem o mais belo amor e carinho. Cada mulher é um ser especial, diferente... não há duas mulheres iguais e é esta individualidade de cada uma que torna o dia a dia melhor. 

 

Feliz Dia Internacional da Mulher a todas as Mulheres....

Como comecei a mudança na alimentação

Eu, tal como muitas pessoas, no correr do dia a dia pouco cuidado ou nenhum tinha com a alimentação. Comia o que tivesse à "mão". Não exagerava nos produtos processados e enlatados, mas também não me preocupava em comer fruta e legumes. Até que um dia me comecei a sentir mal: com muito cansaço, dores de cabeça, uma dor no peito quando fazia algum esforço. Assustada pensei que ia ter algum problema cardiovascular. Posso garantir que andei uns dias cheia de medo do que me podia acontecer. Só conseguia pensar na minha filha e na falta que lhe faria. Houve um dia em que desesperei e chorei, chorei, chorei de tanto medo que tinha. Hoje sei que foi um ataque de pánico e nada passou de um susto, mas a partir daí comecei preocupar-me mais com alimentação que todos fazemos cá em casa.

Para começar alterei de forma radical os pequenos almoços que fazia. Não bebia leite e apenas comia uma sandes (com queijo ou fiambre)  e bebia um café. 

Agora os meus pequenos-almoços são sempre compostos por uma porção de cereais integrais (flocos de aveia, waffle, torrada, pão integral...), uma porção de lacticinios (iogurte, queijo fresco, requeijão...) e fruta. A fruta tem sido uma mais valia. Pelo menos tenho a garantia que consigo comer ao longo do dia as porções de fruta adequadas. O que não acontecia até então. 

Claro que tudo tem sido muito gradual. Agora tenho vindo a ingerir em jejum, logo ao levantar, um copo de água morna com limão.  Continuo a beber o meu café no final do pequeno-almoço. É um vicio. Só tomo 2 cafés por dia e não abdico disso. 

Após alterar os pequenos-almoços tenho vindo a tentar alterar o resto das refeições com a inserção de mais porções de legumes. Por vezes, acontecia que não colocava nenhum tipo de legumes e agora isso não acontece. Em todas as refeições coloco sempre uma porção de legumes.

Ah e uma alteração que considero crucial tem sido também a inserção da sopa antes do prato principal. 

Estou também numa tentativa de iniciar algumas refeições vegetarianas, mas isso torna-se mais dificil para a adesão familiar. Com tempo talvez consiga algum sucesso. 

Com a minha filha, desde os 6 meses, quando iniciamos a alimentação complementar que existem sempre estes cuidados. A sopa, a fruta, os vegetais, carnes brancas e peixe, sempre água com bebida principal, mas com os adultos nem sempre tem sido assim. Precisamos mudar, pois somos nós o exemplo dos nossos filhos. Se nós não comermos como podemos convencer os nossos filhos a comer. E agora que ela já começa compreender e a ter noção do que nós comemos (18 meses) é necessário todos estes cuidados. 

Espero em breve poder dar-vos mais novidades sobre as mudanças de hábitos alimentares cá em casa. Para mudar também é preciso conhecer, aprender, saber e eu ando na fase de investigação e experimentação de algumas receitas. Vamos ver como corre... 

 

Pequeno - almoço saudável

Cada vez mais é necessário ter cuidado com a alimentação para prevenir problemas no futuro.

Um bom pequeno-almoço saudável, completo e equilibrado deve conter: 

  • Hidratos de carbono (pão, torradas, flocos de aveia, granola sem açúcar ou aditivos...)
  • Proteina e laticinios ( iogurte, leite, queijo fresco, requeijão, queijo fatiado...)
  • Vitaminas, minerais e fibra (fruta)

Para tal apresento-vos alguns dos pequenos-almoços que tenho realizado:

IMG_6539.JPG

1. Iogurte natural sem açúcar, uvas e granola caseira sem adição de açúcar. 

IMG_6556.JPG

2. Leite Kefirado (fica com textura de iorgute liquido), uvas e granola caseira sem açúcar. 

IMG_6567.JPG

3. Papaia, requeijão, flocos de aveis integrais, sementes de girassol, levedura de cerveja e canela (ajuda a inibir o apetite)

IMG_6835.JPG

4. Kiwi, iogurte, granola sem açúcar, sementes de girassol e canela. 

IMG_6990.JPG

5. Waffle, queijo fresco, uvas, mirtilos, framboesas e canela. 

 

Bom apetite! Aproveitem estas delicias... 

 

Waffles (desde 12 meses)

Há muito que tinha vontade de experimentar. Não sabia muito bem como, mas hoje eis que encontrei  as placas de fazer waffles que a minha torradeira trouxe incluidas e resolvi experimentar estas waffles do blogue Na cadeira da Papa de Leonor Cicio, autora do livro "Mãe, quero mais!".  

Posso dizer que sairam fantásticas. Não tem desenhos como as da Leonor, mas como para a minha filha tudo o que seja de comer, desde que seja delicioso basta. Mais tarde quem sabe aposte numa máquina de waffles com desenhos para ser mais apelativo. 

Eu gosto delas simples, mas podem sempre comer com fruta fresca adicionada, com compotas, doces, mel, doces, salgados... com o que mais gostarem. Aqui quem manda é a imaginação. 

Claro que para os pimpolhos pequenos é preciso moderar um pouco o que se adiciona às waffles. Costumo dizer que com conta, peso e medida nada faz mal e em exagero tudo é prejudicial. 

image3.JPG

 

Panquecas de banana e chia (desde 12 meses)

Em Portugal não é muito usual, mas no países de língua inglesa celebrou-se há uns dias atrás o "Dia da Panqueca" e como não podia deixar de ser, saem umas panquecas deliciosas.

Deu-me vontade de experimentar uma nova receita de tantas que costumam surgir e tenho de afirmar que estão deliciosas. 

A minha filha (18 m) ainda não provou. Quando chegar a casa da "escolinha" penso que se irá deliciar. Ela adora pão e queijo e preciso variar nestas ofertas para que ela não coma sempre a mesma coisa. 

Como as paquecas têm fruta acaba por ser uma opção saudável em que também ingerem alguma fruta. 

Para quem também quiser usar e abusar dos seus dotes culinários segue a receita. Muito simples e fácil. 

Panquecas de banana e chia

image2.JPG

 

 

Ingredientes

  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de coco ralado
  • 2 colheres (sopa) de polvilho doce
  • 1 figo seco / 1 tamara
  • 1 banana
  • 1 colher (chá) sementes de chia

Preparação:

  1. Coloque numa taça a banana cortada aos pedaços e junte os restantes ingredientes.
  2. Misture tudo com a varinha mágica. 
  3. Entretanto, unte uma frigideira com óleo de coco e coloque a aquecer. 
  4. Cozinhe as panquecas em lume brando e vire-as apenas quando estiverem bem firmes. 

Paciência é um dos truques de umas boas panquecas. 

 

Depois de experimentarem digam o vosso parecer sobre as mesmas. O que acharam? Têm novas receitas? 

 

 

 

 

 

Somos o que comemos - a origem

É verdade: somos o que comemos.

Cada vez mais se vê problemas de saúde relacionados com uma má alimentação.

Sou mãe e desde que a minha filha nasceu surgiu uma preocupação enorme com a sua alimentação. Penso que até essa altura comia de forma razoável, mas não tinha grandes preocupações em comer de forma meramente saudável. 

A minha filha nasceu e surgiu comigo a responsabilidade pelo seu futuro a todos os níveis, inclusive o da alimentação saudável associada a um bom desenvolvimento. 

Muitas dúvidas, muitas perguntas... ecoaram na minha cabeça desde então. 

Cada vez mais leio sobre o assunto e vejo que o que era dito saudável até então passa a não o ser assim tanto. Dou por mim a perguntar: então o que é realmente saudável? 

Ao ver a Grande Reportagem da SIC: Somos o que comemos pensei: e que tal aventurar-me na ideia de escrever um blog para partilhar os conhecimentos que vou adequirindo. Ei que o nome não podia ser outro: "Mãe, somos o que comemos." como um incentivo a responsabilidade que a minha filha coloca em mim pelo seu desenvolvimento. Tenho de lhe fornecer as bases, as ferramentas adequadas para que ela depois possa seguir sozinha. 

Este blog não se focará apenas na alimentação saudável, mas também em outros aspetos essenciais do desenvolvimento, tais como, o choro, o sono, o banho, a brincadeira, aspetos praticos do dia a dia para o desenvolvimento harmonioso de um bebé/criança. Sempre que partilhar uma pesquisa, uma investigação ou uma teoria falarvos-ei da minha perspetiva prática sobre o asssunto, da forma como coloco em prática ou como uso no meu dia a dia. 

Concerteza as minhas dúvidas são as de muitas mães e conto convosco nesta aventura. 

Aceito sugestões de temas que gostassem de ver retratados neste blog. Anotarei sempre as vossas sugestões...

Sejam bem-vindos.