Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe, somos o que comemos

Sou mãe de uma menina que, tal como muitas mães, se preocupa com a alimentação da sua cria de uma forma saudável. Desta forma, surge o blog como partilha de experiências, receitas, saberes, conhecimentos...

Mãe, somos o que comemos

Sou mãe de uma menina que, tal como muitas mães, se preocupa com a alimentação da sua cria de uma forma saudável. Desta forma, surge o blog como partilha de experiências, receitas, saberes, conhecimentos...

Como comecei a mudança na alimentação

Eu, tal como muitas pessoas, no correr do dia a dia pouco cuidado ou nenhum tinha com a alimentação. Comia o que tivesse à "mão". Não exagerava nos produtos processados e enlatados, mas também não me preocupava em comer fruta e legumes. Até que um dia me comecei a sentir mal: com muito cansaço, dores de cabeça, uma dor no peito quando fazia algum esforço. Assustada pensei que ia ter algum problema cardiovascular. Posso garantir que andei uns dias cheia de medo do que me podia acontecer. Só conseguia pensar na minha filha e na falta que lhe faria. Houve um dia em que desesperei e chorei, chorei, chorei de tanto medo que tinha. Hoje sei que foi um ataque de pánico e nada passou de um susto, mas a partir daí comecei preocupar-me mais com alimentação que todos fazemos cá em casa.

Para começar alterei de forma radical os pequenos almoços que fazia. Não bebia leite e apenas comia uma sandes (com queijo ou fiambre)  e bebia um café. 

Agora os meus pequenos-almoços são sempre compostos por uma porção de cereais integrais (flocos de aveia, waffle, torrada, pão integral...), uma porção de lacticinios (iogurte, queijo fresco, requeijão...) e fruta. A fruta tem sido uma mais valia. Pelo menos tenho a garantia que consigo comer ao longo do dia as porções de fruta adequadas. O que não acontecia até então. 

Claro que tudo tem sido muito gradual. Agora tenho vindo a ingerir em jejum, logo ao levantar, um copo de água morna com limão.  Continuo a beber o meu café no final do pequeno-almoço. É um vicio. Só tomo 2 cafés por dia e não abdico disso. 

Após alterar os pequenos-almoços tenho vindo a tentar alterar o resto das refeições com a inserção de mais porções de legumes. Por vezes, acontecia que não colocava nenhum tipo de legumes e agora isso não acontece. Em todas as refeições coloco sempre uma porção de legumes.

Ah e uma alteração que considero crucial tem sido também a inserção da sopa antes do prato principal. 

Estou também numa tentativa de iniciar algumas refeições vegetarianas, mas isso torna-se mais dificil para a adesão familiar. Com tempo talvez consiga algum sucesso. 

Com a minha filha, desde os 6 meses, quando iniciamos a alimentação complementar que existem sempre estes cuidados. A sopa, a fruta, os vegetais, carnes brancas e peixe, sempre água com bebida principal, mas com os adultos nem sempre tem sido assim. Precisamos mudar, pois somos nós o exemplo dos nossos filhos. Se nós não comermos como podemos convencer os nossos filhos a comer. E agora que ela já começa compreender e a ter noção do que nós comemos (18 meses) é necessário todos estes cuidados. 

Espero em breve poder dar-vos mais novidades sobre as mudanças de hábitos alimentares cá em casa. Para mudar também é preciso conhecer, aprender, saber e eu ando na fase de investigação e experimentação de algumas receitas. Vamos ver como corre... 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.